Google+ seguidores

Como enxergam as crianças com baixa visão?

As crianças com baixa visão apresentam as mais diferentes condições visuais. É importante
que a professora saiba quais as causas da perda visual, seu tipo, as necessidades específicas
dessa criança, como e de que maneira essas crianças podem ver melhor. Para isso, é necessário
que a família e a escola recebam informações do oftalmologista especializado em baixa visão e
orientação do professor especializado acerca do funcionamento visual dessas crianças.
Há crianças que podem apresentar as seguintes dificuldades visuais:
a) Acuidade visual reduzida: a criança apresenta dificuldade para ver de longe, precisa
aproximar-se bastante para poder ver bem pessoas e objetos, mesmo que utilize
recursos ópticos. Muitas crianças podem apresentar dificuldades para encontrar
objetos, descrever figuras, definir detalhes, formas complexas, identificar cores, letras,
ler, escrever e desenhar como as outras crianças.
b) Campo visual restrito: uma criança que enxerga bem tem um campo visual de 180
graus na horizontal e vertical, o que possibilita interagir, localizar-se e orientar-se
bem no ambiente. Já as crianças com baixa visão, dependendo do tipo de problema
visual, podem possuir um campo visual bastante restrito, o que pode prejudicar sua
orientação e locomoção no espaço. O campo visual pode ser alterado em diferentes
posições. Há crianças que não enxergam para baixo, e terão, por isso, dificuldade
para andar, descer e subir escadas e se desviar de obstáculos. Outras apresentam
alteração no campo visual central, o que dificultará o processo de identificação de
figuras; elas poderão ver apenas uma pequena parte de um objeto ou quadro; a
leitura torna-se difícil e lenta. As alterações de visão periférica prejudicam a visão
espacial, a percepção de obstáculos e a locomoção independente.
c) Visão de cores e sensibilidade aos contrastes: há algumas alterações visuais nas quais
as crianças são incapazes de distinguir determinadas cores como verde, vermelho,
azul, marrom; outras crianças distinguem cores vibrantes, com bastante luminância
(amarelo, laranja e verde fluorescente). Há crianças que podem ver objetos, formas e
letras com bastante contraste(preto/branco, amarelo/preto, amarelo/azul, roxo/verde
e laranja/verde). O professor deve pesquisar, juntamente com a família, quais as cores
que despertam interesse nas crianças e com as quais elas podem visualizar melhor.
d) Adaptação à iluminação: algumas crianças com baixa visão podem apresentar
sensibilidade exagerada à luz, que ocasiona desconforto visual, ofuscamento,
irritabilidade, lacrimejamento, dor de cabeça e nos olhos. O controle dos índices de
iluminação no ambiente e a utilização de lentes filtrantes são importantes para melhora
das respostas e conforto visual destas crianças. Há entretanto, crianças que necessitam
de muita iluminação e luz dirigida aos objetos para que possa enxergar melhor.

Fonte:MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO ESPECIAL
Saberes e práticas da inclusão
Deficiência visual

Nenhum comentário:

Postar um comentário