Google+ seguidores

Avaliação (superdotação e altas habilidades)

A avaliação da aprendizagem de alunos com necessidades educacionais especiais em
idade pré-escolar deve ser orientada por dois propósitos principais: a identificação das
necessidades educacionais especiais e a tomada de decisão quanto ao atendimento que esses
alunos devem receber, conforme previsto na nova legislação. Dada a diversidade de estilos
de aprendizagem, estilos de expressão e habilidades dos alunos superdotados, múltiplas
formas de avaliação da aprendizagem devem ser consideradas, visando não somente
assegurar respostas educativas de qualidade, mas, também, a tomada de decisões quanto ao
atendimento de que a criança pré-escolar necessita no âmbito da escola, nas modalidades
de apoio,2 complemento3 ou suplemento escolar,4 garantindo a educação e o desenvolvimento
das potencialidades desses educandos. Além disso, em situações de desenvolvimento
dessincronizado na pré-escola (por exemplo, desenvolvimento intelectual mais avançado do
que o emocional), um cuidadoso e exaustivo trabalho de avaliação escolar deve ser realizado
a fim de fundamentar decisões tomadas como a de aceleração de estudos de alunos
autodidatas ou que apresentem ritmos de aprendizagem acelerados em uma ou várias áreas
de aprendizagem escolar.
Além das alternativas tradicionais de avaliação, outras poderão ser utilizadas como,
por exemplo, auto-avaliação, relatório de atividades e avaliação de produtos elaborados pelos
alunos. A estratégia ideal de avaliação é aquela em que o progresso do aluno é ressaltado.
Isso possibilita ao aluno desenvolver um senso de realização acadêmica e, conseqüentemente,
levá-lo a se sentir intrinsecamente motivado em relação ao seu processo de aprendizagem
(Feldhusen, 1994). É importante, ainda, que o professor incentive múltiplas formas de produto
final. Ou seja, o aluno pode demonstrar sua proficiência por meio de um produto escrito
(história, poesia, carta etc), oral (dramatização, música, contar histórias etc), visual (desenho,
colagem, mural etc) e/ou concreto (móbile, máscara, brinquedos, jogos etc), de forma a
contemplar os diferentes estilos de expressão5 dos alunos. Toda informação sobre o aluno
(por exemplo, trabalhos de classe e extraclasse, outras produções do aluno, áreas/atividades
de interesse) deve ser documentada e guardada em um portfólio, ou seja, em uma pasta para
cada aluno, com sua produção, de forma que as habilidades, interesses, estilos de
aprendizagem e expressão do aluno superdotado sejam ressaltados e o professor possa,
portanto, conhecê-lo melhor e estruturar a aula visando atender a suas necessidades
educacionais (Purcell & Renzulli, 1998).
Pensar a construção da educação inclusiva de alunos de altas habilidades/superdotados
na pré-escola envolve superar desafios que vão desde a organização dos sistemas de ensino,
passando pela escola e pela família, garantindo condições escolares de qualidade que
favoreçam a formação de cidadãos brasileiros que poderão, definitivamente, contribuir para
a construção de uma sociedade verdadeiramente democrática.

Nenhum comentário:

Postar um comentário