Google+ seguidores

A inclusão de crianças com deficiência visual na educação infantil (aspectos socioculturais)

O significado social da deficiência visual: superando mitos e estereótipos
O movimento da inclusão social vem, desde a década de 80, defendendo, simultâneamente,
os princípios de direito à igualdade e à diferença nos contextos educacionais, visando eliminar
os processos de preconceito, discriminação e estereótipos produzidos no interior da escola.
A educação inclusiva pode desempenhar importante papel de transformação cultural
em relação à deficiência visual, principalmente, no que diz respeito à reflexão sobre os mitos
e estereótipos atribuídos às pessoas cegas e de baixa visão nos diferentes momentos históricos.
A construção social da deficiência visual, através dos tempos, tem sido repleta de mitos,
estereótipos e barreiras atitudinais que influenciam as relações sociais, as formas de interação
e a formação do auto-conceito dessas pessoas.
Vários estudos revelam que a deficiência visual, por si só, não acarreta dificuldades
cognitivas, emocionais e de adaptação social. Entretanto, as formas de interação, comunicação
e significados socialmente construídos são fatores determinantes para o processo de
desenvolvimento, aprendizagem e adaptação social das crianças com deficiência visual.

Nenhum comentário:

Postar um comentário